Constatámos que está a utilizar um navegador não compatível. O Web site do Tripadvisor poderá não ser devidamente apresentado.Compatibilidade com os seguintes navegadores:
Windows: Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome. Mac: Safari.

Salvador Fórum: Segurança em bairros fora do circuito turístico

Madrid, Espanha
Colaborador nível
111 publicações
37 avaliações
70 votos úteis
Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Oi, baianos e amigos!

Como alguns de vocês já sabem, eu vou visitar Salvador daqui a pouco e estou tentando resolver algumas dúvidas antes de chegar na cidade. Dessa vez, eu queria perguntar pela segurança de alguns bairros e locais da cidade que ficam fora do circuito turístico, mas que eu considero muito interessantes. Sendo que eu nasci e cresci num bairro humilde, que estudei sociologia e que adoro entender as realidades sociais diferentes, eu sempre gosto de mergulhar em bairros mais humildes e menos turísticos quando eu viajo (seja na Espanha ou em país estrangeiro). Não tenho interesse em ir lá para tirar foto, mas para poder observar outras realidades, falar com o pessoal que mora lá e criar uma imagem mais completa e realista da cidade que eu visito.

No entanto, a segurança é obviamente uma questão chave para mim e os meus parceiros de viagem e, por isso, eu preciso de sua ajuda para averiguar se esses bairros são seguros ou, pelo contrário, supõem uma ameaça:

• Eu estou empolgado por conhecer alguns bairros do norte da cidade: Ribeira, Bonfim, Boa Vigem. Algumas dicas?

• Dentro desses bairros tem áreas mais pitorescas, mas provavelmente também mais inseguras. Por exemplo Pedra Furada ou o entorno da Marina Jó Ribeira. Recomendam visitar?

• O pequeno bairro marítimo que fica no sul do MAM, onde tem vários barzinhos muito lindos (por exemplo Ré Restaurante Dona Suzana).

• As ruas que ficam no sul do Dique Tororó. Muito pitoresco, especialmente as casas que ficam na frente do lago.

• Itapuã, perto do Parque Metropolitano do Abaeté. Aqui eu quero perguntar pela segurança no próprio parque.

Muito obrigado pela sua ajuda. Com certeza vocês vão conseguir que a nossa experiencia em Salvador seja melhor e mais completa do que seria sem poder ter conhecido pessoal local.

Abraços,

Pablo.

Data de edição: Junho 29, 2022, 13:18
9 respostas a este tópico
Madrid, Espanha
Colaborador nível
111 publicações
37 avaliações
70 votos úteis
1. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Oi! Ninguém tem nada a dizer? Gostaria muito de conhecer a sua opinião. Obrigado!

Buenos Aires...
Colaborador nível
9 233 publicações
603 avaliações
7 221 votos úteis
2. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Pablo,

Bom día. Tem um Especialista no Destino Salvador (baiano e mora la), Vitorbabrazil, pode escrever una mesagem privada. Saudacões!

Madrid, Espanha
Colaborador nível
111 publicações
37 avaliações
70 votos úteis
3. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Muito obrigado! Só agora eu mandei uma mensagem para ele. Torço para ele responder!

Madrid, Espanha
Colaborador nível
111 publicações
37 avaliações
70 votos úteis
4. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Jorge, eu só escrevo essa mensagem para te agradecer a dica de novo. O Vitorbabrazil está me ajudando MUITO, e dá para perceber que ele tem um monte de experiência e conhecimento acerca da cidade, além de conhecer muito bem outros destinos no mundo.

Eu recomendo falar com ele a qualquer pessoa que esteja planejando visitar Salvador, sem dúvida :)

Salvador, BA
Colaborador nível
4 publicações
41 avaliações
27 votos úteis
5. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Oi, amigo. Vou dar minha pequena contribuição.

Já li alguns comentários do Vitor e, de fato, tem muitas experiências na cidade e você terá um belo apoio com as dicas dele.

Ainda assim irei tecer alguns comentários acerca de algumas dúvidas. Vamos lá, espero ajudar em algo.

Gosto muito dos 3 bairros citados: Bonfim, Boa Viagem e Ribeira.

Dos 3, o Bonfim é o "mais turístico", já fazendo parte do roteiro turístico, tendo seu chamariz a Basílica do Nosso Senhor do Bonfim. Pesquise depois, se desejar, por "Lavagem do Bonfim", tendo inclusive a Igreja do Bonfim, oficialmente, fazendo parte do "Caminhos da Fé".

Os 3 bairros são muito próximos e, com disposição, inclusive pode-se conhecê-los caminhando.

Uma caminhada do Forte de Mont Serrat (que fica no bairro Humaitá, colado com a Boa Viagem) até a Igreja da Penha (Ribeira) dá, pelo Google Maps, uma caminhada de 3,5 km. Se vier da Boa Viagem à Ribeira, "de orla a orla", terá passado por vários bares, restaurantes, sorveterias, pontos de banho de mar entre outras opções.

Mesmo os três sendo integrantes da Península Itapagipana (que também engloba outros bairros) a balneabilidade muda completamente entre as praias.

Por exemplo, na Boa Viagem, a profundidade é aumentada, significativamente, à medida que dá poucos passos adentrando ao mar.

Na Ribeira, por sua vez, há trechos em que você anda muito mais para que tenha a mesma profundidade, comparando à Boa Viagem. É uma praia muito mais calma, ainda que a Boa Viagem tenha poucas ondas.

Junto ao bairro (e à praia) Boa Viagem, tem o Humaitá, que também permite paisagens lindíssimas ao pôr do sol, estando entre os mais bonitos de toda Salvador. Permite ver o "skyline"(contorno) da região da Cidade Baixa, passando pelo centro até a Barra e as ilhas ao redor, compondo um visual único.

O Bonfim não possui praia, sendo a Beira Mar, como nós chamamos, a orla que liga a Boa Viagem, o Bonfim e a Ribeira.

Todas são MUITO populares, logo, mantenha discrição máxima.

Se for durante a semana e até aos sábados, terá uma experiência completamente diferente e, ao meu ver, muito mais prazerosa, permitindo melhor exploração e experiências, com exceção das segundas-feiras na Ribeira, que fica lotada devido à, popular, "segunda-feira gorda da Ribeira".

Falando em praia urbana, uma das queridinhas atuais do soteropolitano é a Gamboa/Praia do MAM (Museu de Arte Moderna) que fica na Avenida Contorno (liga o bairro do Comércio ao Campo Grande, à Barra, Vitória e outros bairros, por exemplo) e possui uma das mais belas vistas de vias de trânsito da cidade, porém no sentido inverso - da Barra para o Comércio - descendo a avenida). No MAM, tem a disponibilidade além do próprio museu, de cinema, sessão de jazz aos finais de tarde de sábados e restaurantes próximos em toda a região da Bahia Marina, por exemplo.

Copiando uma resposta anterior, pode ser que lhe ajude:

- Como anda a segurança em Salvador? De se melhorar.

- Tem policiamento nos pontos turísticos? Sim, mas mantenha sua discrição quando possível.

- Quais praias e pontos turísticos são mais suscetíveis à assaltos? Não tem como responder. Como toda cidade grande, requer atenção em pontos de grande movimentação. Toda praia muito popular merece atenção redobrada.

- O transporte público é seguro? NÃO.

Algumas questões que você perguntou:

• Eu estou empolgado por conhecer alguns bairros do norte da cidade: Ribeira, Bonfim, Boa Viagem. Algumas dicas?

• Valem a pena para o propósito que deseja. São bonitas, agradáveis, fora do roteiro turístico.

Só um detalhe: Caso não queira já demonstrar que é turista, em Salvador, evite dizer "bairros do norte da cidade". Dificilmente alguém vai entender se você disser "ao norte, ao sul, zona norte, zona sul". A cidade se divide, basicamente, em Cidade Alta e Cidade Baixa (os bairros "abaixo do Elevador", cidade baixa) a partir do bairro "Comércio", onde fica o Elevador Lacerda que é um dos "responsáveis" por essa designação de "alta" e "baixa".

• Entretanto, ainda assim, dificilmente ouvirá "Cidade Alta", sendo mais comumente, em contrapartida, ouvir "Cidade Baixa" se referindo a qualquer bairro da "Península de Itapagipe".

• Dentro desses bairros tem áreas mais pitorescas, mas provavelmente também mais inseguras. Por exemplo Pedra Furada ou o entorno da Marina Jó Ribeira. Recomendam visitar?

- NÃO recomendaria visitar. Nenhum deles. Na Pedra Furada, por exemplo, são ladeiras muito íngremes, estreitas e alguns outros locais de difícil acesso. Há uma situação em SSA, e em outras grandes cidades do país, onde as drogas são um problema social evidente e, nessas áreas citadas, há tráfico de drogas e pouca - ou pouquíssima, para não dizer nenhuma - visitação turística, policiamento e trânsito de populares que não moram no local, logo, ficará fácil deduzir, comprovar, que você é turista. Mantenha sua discrição. Sempre!

- Na Marina, também NÃO É recomendável, pois está localizada em um bairro muito popular e mesmo estando em uma região plana, também possui os mesmos problemas citados acima pois é de difícil acesso com ruas apertadas.

• O pequeno bairro marítimo que fica no sul do MAM, onde tem vários barzinhos muito lindos (por exemplo Ré Restaurante Dona Suzana).

- Ok. Aí é embaixo da "Avenida Contorno", é o bairro da Gamboa de Baixo. Aumentou sua badalação, recentemente, como um todo, mas ainda vale a visita.

• As ruas que ficam no sul do Dique Tororó. Muito pitoresco, especialmente as casas que ficam na frente do lago.

- O Dique do Tororó está no bairro chamado Tororó e, ao seu entorno, sim, é de fácil acesso, transitável, fácil de explorar. Nas ruas internas do bairro, Tororó, não. Mesma situação da Pedra Furada. Algumas ladeiras bem íngremes e tráfico de drogas na região.

• Itapuã, perto do Parque Metropolitano do Abaeté. Aqui eu quero perguntar pela segurança no próprio parque.

- Não frequento há bastante tempo. Mas ainda perdura a sensação de insegurança.

Em suma, em determinados lugares, é interessante não mostrar que é turista (como, por exemplo, para evitar o assédio de vendedores) e em outros, é fundamental.

Sei que citou que gostaria de viver experiências mais próximas do cotidiano de um "não-turista", também tento isso quando estou viajando, porém, em determinadas situações e lugares, acredito que isso deva ser secundário e, ainda que se perca eventualmente alguma experiência espontânea, acredito que deva prezar pelo bem estar e segurança.

A diferença, na minha opinião, talvez primordial, fundamental, entre locais de origem humilde entre determinadas nações é a falta de segurança. A questão da origem humilde, em cidades grandes como Salvador, pode se misturar e se confundir com a "falta de cidadania" do Estado para com o sujeito.

Com sorte, nesses lugares citados - e até nos de pontos turísticos - já será suficiente para presenciar a espontaneidade presente no dia a dia e ter uma viagem mais agradável.

Um abraço,

Everson

Buenos Aires...
Colaborador nível
9 233 publicações
603 avaliações
7 221 votos úteis
6. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Pablo,

De nada! Vitor e muito legal.

Everton, muito obrigado pelos detalhes de sua resposta. Sem dúvidas, será muito útil para o fórum. Parabéns!

Madrid, Espanha
Colaborador nível
111 publicações
37 avaliações
70 votos úteis
7. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Muito, mas muito obrigado Everton. Vocês não fazem ideia de quanto estão me ajudando.

A sua resposta foi extrmamente completa. Eu fiz anotações de tudo, especialmente das questões que tem a ver com segurança.

Sem tem mais algum local que fique perto das areas turisticas mas seja muito perigoso, assim como os arredores do MAM, por favor agradeço se me falam.

Obrigado de novo.

Salvador, BA
Colaborador nível
1 publicação
25 avaliações
12 votos úteis
8. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Olá Pablo! Tudo bem? Qual o periodo que estará aqui em Salvador? Posso dar umas dicas do circuito cultural da cidade, dependendo das datas!

Madrid, Espanha
Colaborador nível
111 publicações
37 avaliações
70 votos úteis
9. Re: Segurança em bairros fora do circuito turístico
Guardar

Oi Dani! Obrigado pela pergunta. Eu vou ficar em Salvador nos ultimos dias de agosto.

Obtenha respostas às suas perguntas sobre Salvador
Conversas recentes