Relato de viagem de 23/05 a 28/05/18

Viajamos eu e minha esposa para 7 dias de férias em Exumas:

1º dia: após pernoitar no Miami International Airport Hotel, pegamos o voo das 12:05h da American Eagle de Miami (MIA) para Great Exuma (GGT). Voo tranquilo, com duração de 1:15h, num Embraer RJ175 com aproximadamente 70 lugares. O visual das Bahamas lá de cima é lindo. Além do preço da passagem cobram U$ 25,00 por mala despachada. O aeroporto é minúsculo, e não tem nem Free Shopping. Não gostam nem um pouco que se utilize celulares na área de imigração. O agente alfandegário advertiu seriamente uma americana que estava fotografando lá dentro. Após mostrar os passaportes e vacina da febre amarela, pegamos nossas malas e nos dirigimos para a Thompson’s Car Rental que fica em frente ao aeroporto. Após pesquisa nos foruns do Tripadvisor e troca de emails com a companhia, conclui que era a melhor opção. Alugamos um Honda Civic automático. Segundo a companhia não existem carros 4 x 4 em Exuma, e acho que não é necessário. Não fiz seguro, porque tinha uma franquia de U$ 1.000,00 (custava U$ 22,00/dia). Resolvi pagar com o cartão e usar o seguro do cartão, que cobre apenas os danos do carro alugado. Após vistoriar o carro e registrar todas avarias no contrato partimos em direção ao hotel. Em Exuma eles usam a mão inglesa, mas a adaptação foi fácil, pois só existe uma estrada que corta a ilha de ponta a ponta (60 Km). A estrada apresenta alguns buracos enormes e profundos. Deve-se dirigir com muita atenção para não cair neles, pois podem quebrar o carro. Nos dias de chuva e a noite é bem ruim de dirigir por causa disto. Mas indo devagar não tem problema. Após alguns minutos na estrada chegamos no nosso hotel: Palm Bay Beach Club at Hideaways. Alugamos a cabana 31, direto com o proprietário através do aluguetemporada.com. Após o registro na portaria do hotel fomos para a cabana. Localização privilegiada, em frente ao mar. Wifi ótimo, porém sem café da manhã nem serviço de quarto. Após nos instalarmos, fomos até o centro (Georgetown) comprar um chip para o telefone na cia local (BTC). Custou cerca de U$ 23,00 para 2 Gb + chamadas locais. Processo muito rápido. Não precisa preencher nada. Paga-se, coloca o cartão no telefone e sai usando. Passamos no Exuma Market (fecha as 18:00h e não abre aos domingos) para comprar algumas coisas básicas para o café da manhã e pequenos lanches, e também snacks e bebidas para levar para a praia, já que a maioria das praias não tem bares, nem cadeiras e nem guarda-sol. O preço é de 50 a 100% mais caro que aqui. Após passear pelo pequeno centro de Georgetown fomos jantar no Shirley’s at Fish Fry. O Fish Fry é um complexo com vários bares/restaurantes. Mas comida boa mesmo só na Shirley’s. Comida simples mas muito gostosa. Gastamos U$ 55,00 para 2 pratos com espetinho de camarão, arroz, fritas e refrigerante. Depois voltamos para o hotel. Em nenhum momento notamos a presença dos tão falados mosquitos vorazes de Exumas. Levamos vários repelentes e nunca utilizamos.

2º dia: Como estávamos no meio da ilha resolvemos conhecer as praias de Little Exuma que fica para o leste. Utilizamos um mapa muito bom que um grupo do tripadvisor criou e atualiza sempre para ajudar quem vai a Exumas. Mostra todos os pontos de interesse. Um mapa muito útil, pois nem sempre o acesso as praias é fácil de encontrar. Muitas vezes as placas não existem ou são escondidas. O mapa é fundamental. https://www.google.com/maps/d/viewer…

Passamos pelo centro e mais adiante paramos no Haulover Bay Bar & Grill. Um bar ótimo para um final de tarde, com vista para o mar. Passeamos pela praia que é muito bonita. Aqui é possível alugar caiaques para explorar os bancos de areia próximos (Man o War) e também a Moriah Harbour Cay. Ao lado do estacionamento do bar, após cruzar um pequeno cemitério existe uma prais linda e quase sempre deserta. Vale a pena conhecer. Daqui fomos direto para a Tropic of Cancer Beach, considerada uma das mais bonitas de Exuma. Uma praia realmente linda, com estacionamento, mas que não tem sombra nem bares. Depois de curtir a praia fomos almoçar no Santana’s um dos bares mais famosos de Exumas. Novamente comida simples mas muito boa, e um ambiente muito legal. A vista do mar é sensacional. Novamente gastamos U$ 55,00 para 2 pratos de camarão, arroz e refrigerante. Ao lado do Santana’s fica a famosa Mom’s Bakery. Fomos atendidos pela própria Mom, uma senhora simpática de 86 anos que desde muito tempo está em Exumas. O mais famoso é o Rum’s Cake, mas todos os bolos são deliciosos. Voltamos para o centro e fizemos mais algumas compras no Shop Rite Supermarket. Achamos o Exuma Market melhor. Terminamos a noite no hotel onde fizemos um lanche.

3º dia: Resolvemos conhecer as prais do oeste. Paramos primeiro em Hoopers Bay (junto com Cocoplum, Jolly Hall e Tropic of Cancer são as praias mais bonitas na nossa opinião), que é a praia das tartarugas. Não tem um estacionamento próprio, mas o carro pode ficar no acostamento da estrada do utro lado da entrada da praia. Caminhamos pela praia até uns trapiches de barco e é lá que ficam as tartarugas. Tinhamos uma bolacha e elas vinham direto nadando até nós. Muito lindo de ver elas nadando naquela água cristalina. Curtimos a praia (tem bastante sombra para quem gosta) pela manhã e continuamos viagem. Paramos na Tar Bay Beach e na 3 sister beach. Uma água de azul incrível e que nos rendeu ótimas fotos. Depois fomos até o final da estrada, na Exuma Point Beach. Praia deserta, com muito vento, mas igualmente linda. Na volta, logo após sairmos da praia pegamos o carro e paramos num banco de areia indescritível. Caminhamos centenas de metros mar adentro, com água dos dois lados. Visual incrível. Depois fomos para Cocoplum Beach. A estrada de acesso a praia estava inundada após um certo trecho. Era necessário deixar o carro e ir caminhando por dentro dágua por uns 100 m para chegar lá. Optamos por voltar e tentar a entrada pelo Shoreline Beach Club, um bar de beira de praia também em Cocoplum. Ótima escolha. Chegamos de carro até a praia, e o bar era ótimo. Fizemos uma refeição, deitamos um pouco nas redes disponíveis em baixo dos coqueiros e depois aproveitamos a infra-estrutura do bar (redes, cadeiras e guarda-sol). Caminhamos pela praia e ficamos por aqui até entardecer. Cocoplum na maré baixa também tem lindos bancos de areia. Mas como chegamos mais tarde, já na maré alta não deu para observá-los.

4º dia: No dia anterior haviámos contratado por email o passeio de barco de dia inteiro, chamado Exuma Cays Tour ou Staniel Cay Tour. Um passeio imperdível em Exumas. Várias companhias fazem este passeio e todas são muito semelhantes. O preço varia com o que os barcos oferecem a bordo e com o número de pessoas que carregam. Optamos pela Sugar Adventure = (12 pessoas no máximo) e não nos arrependemos. Pagamos U$ 215,00 por pessoa com taxas, incluindo transfer para a marina, material de snorkel, refrigerante, cerveja e Conch Salad (prato típico e muito bom). O passeio durou das 9:00 16:00h, mas o carro nos pegou no hotel as 7:30h. A distância final do passeio fica a 80 Km do ponto de partida (marina de Bareterre). O barco anda a 60 Km/h, mas em nenhum momento sentimos desconforto, já que o mar é bastante calmo. A primeira parada foi em Leaf Cay, conhecida pela enorme quantidade de iguanas que ficam na praia. Depois conhecemos algumas ilhas de famosos como David Copperfield. Neste trajeto o barco faz uma parada e um dos tripulantes se joga no mar, e volta com várias conchas, com as quais farão a salada posteriormente. Próxima parada na Thunderball Grotto, uma caverna no meio das rochas incrivelmente linda, onde foi filmado um dos filmes de 007. Ficamos lá dentro por uns 30 a 45 min fazendo snorkel e vendo peixes de tudo que é tipo. Mais um pouco de viagem e paramos num banco de areia no meio do mar, onde foi preparada a Conch Salad pela tripulação do barco. Comemos e tiramos fotos lindas. Próxima parada em Compass Cay, numa marina onde os tubarões ficam circulando. Paga-se U$ 10,00 para os locais e pode-se nadar e brincar livremente com os vários tubarões que estão por ali. Estava um pouco receoso disto, mas na hora a gente ve crianças dentro dagua, e o medo desaparece. Foi muito legal. Depois nos dirigimos a Pig Beach, a famosa ilha dos porcos que nadam. No barco eles dão algumas frutas para darmos aos porcos. É preciso um pouco de cuidado com eles, pois alguns são enormes, e vem nadando até a gente em busca de comida. Cuidado para não ser mordido pelos porcos se estiver com comida na mão. Mas a filmagem dos porcos nadando fica linda. Última parada foi em Little Farmer’s Beach para o almoço (não incluido no preço) no Ocean Cabin. Comemos uma lagosta maravilhosa e depois ficamos na marina observando as arraias e tartarugas. E finalmente iniciamos a viagem de volta. Antes de chegarmos o barco fez uma parada e um dos tripulantes mergulhou e voltou com uma estrela do mar para tirarmos fotos. Depois devolveu-a ao mar. Finalmente chegamos a marina de Bareterre e para o hotel. Neste passeio é indispensável o protetor solar, pois fica-se muito exposto ao sol. Pode ser cansativo para crianças pequenas e idosos pelo longo tempo de navegação, embora sejam feitas várias paradas.

5º dia: choveu o dia todo e ficamos na cabana assistindo na TV a uns filmes que eu havia baixado na Netflix do Ipad. Fui preparado para chuva, pois não tem o que fazer em Exumas quando chove. A tardinha quando a chuva parou fomos caminhando até Jolly Hall, uma praia linda que fica a uns 5 a 10 min de caminhada pela praia do nosso hotel. A praia estava completamente deserta e após um banho de mar ficamos ali sentados vendo anoitecer na frente daquele mar imenso. Uma paz!! Neste dia haviamos planejado fazer um tour de 4h pela Elizabeth Harbour. Haviamos lido que é um tour muito bacana em que se passa por várias praias só acessíveis com barco dentro daquele perímetro delimitado no mapa. Pode ser feito com uma das empresas de barco, ou por conta própria, alugando um barco na Minns Water Sports.

6º dia: dia lindo de sol. Iniciamos o dia em Hoopers Bay, com a praia vazia, e encontramos algumas tartarugas. Depois fomos ao centro, deixamos o carro estacionado no porto e pegamos o water taxi do Martin para Stocking Island. O water taxi mais conhecido é o do Elvis, mas são todos muito parecidos. Paga-se U$ 15,00 ida/volta. Em geral quando se chega no porto, o barqueiro do próximo barco a sair já está ali vendendo os tickets. O barqueiro avisa os horários da volta, que deve ser feito com o mesmo barco da ida. Optamos pelas 15:00h e acabamos voltando com o Elvis, já que o Martin pediu para ele nos levar de volta. Era domingo e a ilha estava cheia, pois é dia do famoso “Pig Roast” no bar/restaurante Chat’n Chill. A praia é muito bonita e estava cheia de arraias. Na beira da praia tem uma casinha que pertence ao Chat’n Chill que só vende Conch Salad. Eles deixam na frente uns restos de conchas que serve de alimento para as arraias. Qualquer um pode pegar. Pegamos um pouco de alimento e várias arraias ficaram a nossa volta. Tem muita sombra, mesas, bancos e balanços para sentar. A única exigencia é não levar nada para comer e beber. Tudo deve ser adquirido no Chat’n Chill, embora não seja obrigatório. Pode-se utilizar o local sem consumir nada. As 15:00 voltamos para Great Exuma e almoçamos novamente na Shirley’s. As 17:00h fomos até o bar Catch a Fire, que fica do outro lado da ilha, e é o unico bar onde é possível ver o por do sol. Mas havia nuvens no horizonte e o bar estava fechado. Não achei o local imperdível. A janta foi uma pizza muito boa de frutos do mar no Splash Bar.

7º dia: no nosso último dia acordamos e fomos até Jolly Hall caminhando e ficamos parte da manhã curtindo aquela que seria escolhida por nós como a mais bela praia da ilha. Voltamos para o hotel, fizemos o check out, e fomos abastecer o carro. Gastamos ao todo U$ 22,00 de gasolina (U$ 1,41/litro). Devolvemos o carro, num processo bem rápido e sem problemas. Checkin no aeroporto rápido e tranquilo, e voo de retorno a Miami saindo as 14:00h com 1:15h de duração.

Observações:

- Postos de gasolina: Existem apenas 2 no centro e 1 próximo ao aeroporto. Não abrem aos domingos e funcionam em horário comercial. O abastecimento é feito por frentistas.

- Horários: comércio fecha entre 17:00 e 18:00h. Os bares e restaurantes entre 21:00 e 21:30h, sendo que este é o horário de sair do restaurante. A noite não existe em Exumas.

- Dinheiro: a grande maioria do comércio aceita dolar ou cartão, sendo que no cartão em geral tem uma taxa de 5% a mais. A moeda dirculante é o dolar americano e o dolar das Bahamas. O valor das duas moedas é sempre igual. No final da viagem é interessante pedir o troco em dolar americano, para não ficar entupido com o dolar das Bahamas.

- Marés: muitas praias e bancos de areia ficam mais bonitos ou mesmo só aparecem na maré baixa. Por isso é interassante ter uma planilha com a tábua das marés para poder se programar. https:/…latest

- Cameras: a Gopro é fundamental para registrar toda a beleza da ilha. Não vi drones, e parece que é necessário registrá-los antes da chegada.

- Segurança: parece que a ilha é muito segura. Andávamos por praias desertas e a noite sem medo. Nuca vimos nenhum policial ou carro de policia. Acho que nem existe isto na ilha.