Brasileiros podem viajar sem restrições a somente 8 países
Guardar

Olá a todos,

Com a situação da pandemia se agravando cada vez mais no Brasil — a média móvel atual é de 3 mil mortes por dia e é prognosticada para 5 mil no inverno — cada vez mais países aumentam as restrições à entrada de brasileiros.

O mais recente a aumentar restrições foi a França, que anunciou na terça, 13, como relatei aqui em tópico aberto horas após o anúncio, que suspenderá todos os voos entre os dois países sem data para retomada.

"Percebemos que a situação está piorando e decidimos suspender todos os voos até novo aviso", afirmou o primeiro-ministro francês, Jean Castex.

Apenas oito países possuem restrições leves ou nenhuma restrição à entrada de brasileiros no momento: México, Afeganistão, República Centro Africana, Albânia, Costa Rica, Nauru e Tonga.

114 países têm fortes restrições à entrada de pessoas vindas do Brasil — incluindo os destinos mais procurados por brasileiros em 2019, como Estados Unidos, Argentina, Chile, França, Reino Unido e Itália.

Afeganistão, República Centro Africana, Albânia, Costa Rica, Nauru e Tonga não exigem quarentena para a chegada de pessoas que vieram do Brasil, mas exames médicos ou outras pequenas exigências podem ser necessárias.

A Costa Rica, por exemplo, exige que quem chega do Brasil e não é cidadão da Costa Rica tenha um seguro viagem com cobertura de custos para tratamento e acomodação em caso de contaminação com coronavírus.

O México no momento não exige exames ou quarentena - mas isso pode mudar, já que o país tem tido um aumento vertiginoso de casos e é atualmente o terceiro com mais mortes por covid-19, atrás apenas dos EUA e do Brasil.

Há grande preocupação com o avassalador aumento de casos na Índia e de uma nova e letal variante se desenvolver por lá, por ser um país populoso, pelas péssimas condições de higiene, pela tradição mercante e agora pelas celebrações religiosas com banhos comunais no Ganges.

Para entrar em Nauru, é preciso que os brasileiros tenham um teste negativo de covid-19 e tenham passado os últimos 14 dias na Austrália. Isso só é possível, no entanto, para quem já estava no país, porque a Austrália é um dos países cujas fronteiras estão fechadas.

O Afeganistão, a Albânia, a Macedônia do Norte e o Reino de Tonga não possuem restrições, mas há restrições de voos para esses países, alguns com chegadas e partidas por via aérea simplesmente suspensa.

Brasileiros ou pessoas vindas do Brasil enfrentam restrições fortes ou moderadas para viajar para a maioria dos países do mundo, incluindo para os nossos vizinhos na América do Sul.

Os voos diretos do Brasil estão suspensos para a Colômbia, a Venezuela, o Peru, o Suriname e a Argentina. Chile e Uruguai não suspenderam voos do Brasil, mas apenas cidadãos locais ou seus parentes próximos podem entrar.

Já Bolívia, Paraguai e Equador não proibiram a entrada, mas exigem restrições moderadas, como exames negativos e quarentena na chegada.

Nos Estados Unidos, a entrada de pessoas que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias em geral não é permitida.

Para todos os 27 países da União Europeia — incluindo destinos favoritos de brasileiros como Portugal, Espanha, França, Itália e Alemanha — a entrada de brasileiros não é permitida.

Exceções são feitas para brasileiros que tenham dupla nacionalidade europeia ou que sejam residentes legais nesses países.

Países como Japão, Austrália e Índia também não autorizam a entrada de brasileiros ou pessoas vindas do Brasil, a não ser que sejam cidadãos nacionais ou residentes permanentes. Nesses casos são exigidos vistos e quarentena.

Na China, mesmo estrangeiros com vistos permanentes podem ter a entrada barrada.

Fica a reflexão sobre os porquês das restrições, das responsabilidades de quem as causou e de nossa parte nelas ao não compreendermos a doença, sua amplitude e como evitar sua dispersão.

Vítor

PS. A lista de países a permitirem nossa entrada pode diminuir com a piora de nossa lida com a pandemia, ou seja, o que se constata é temporário e vai piorar se cada um não agir contra o vírus e não a favor dele.

Data de edição: Abril 15, 2021, 15:31