Museu Nordeste de Tradição e Artes

Museu Nordeste de Tradição e Artes, Brasília

Museu Nordeste de Tradição e Artes - Brasília

Museu Nordeste de Tradição e Artes - Brasília
4
O que as pessoas estão a dizer
Museu Nordeste de Tradição e Artes: pequena sala na Casa do Ceará tentando destacar uma das maiores Culturas do Brasil
mar de 2019
Apenas uma saleta com acervo cultural maior do Ceará: pertences do Padre Cícero - cultura Tapeba(índios do Cariri-CE) + fósseis de Santana do Cariri-CE + fotos sobre o Cangaço e Cangaceiro (NE) e outros. Apesar do espaço pequeno para o gigantesco tamanho da cultura nordestina, há de se elogiar o esforço da Casa do Ceará, a única e super-organizada representação cultural do Nordeste em Brasilia, área mto grande em zona nobre da Asa Norte, prestando mil serviços sociais, assistenciais e culturais aos migrantes da região no DF Como todos sabemos, Brasília tem mta gente de todas as regiões brasileiras, predominando, por Estados, em primeiro lugar, Minas Gerais com algo como 600 mil mineiros no DF: por região, o Nordeste é o primeiro com quase um milhão e meio de nordestinos, Pernambuco e Bahia na frente. Tem grandes colônias gaúcha, cearense, paraibana, etc, e razoáveis dos demais Estados. Moral dessa história, o DF deveria ter boas Representações governamentais estaduais do NE, até Centros Culturais nos moldes dos tradicionais Centros de Tradições Gaúchas, espalhados por quase todo o Brasil, conservando e divulgando as ricas e belas tradições dos Pampas, aliás deveriam servir de modelos para todos os estados brasileiros, por falar nisso, em São Paulo, tem um poderoso Centro de Tradições Nordestinas, promovendo do que jeito que pode a grande cultura dessa Região. Quando coletei dados e subsídios para meu livro Brasil-Nordeste de luta contra o preconceito anti-NE, lançado há dois anos atrás, levantei junto aos Cadernos de Cultura e Folclore do Ministério da Educação e Cultura e vi que o Nordeste era disparada a região com mais manifestações em tais áreas, com quase 300 eventos cadastrados, vindo mto depois MG com uns 80, porisso que falamos acima em "gigantesca cultura nordestina", não se tratando de bairrismo, mas sim de orgulho cultural desses 9 estados brasileiros, malgrado sua enorme pobreza econômica, uma das causas do inclassificável e renitente preconceito anti-nordestino. No inicio do "boom" turístico nordestino, quando mais de 80% do turismo brasileiro era carreado para essa região, esse preconceito foi bastante atenuado - a cultura nordestina como um todo mostrou sua pujança para o Brasil, a tal ponto que a inteligentsia paulistana, acho que nas dédadas 60/70, chegou a propor que a cultura nordestina fosse alçada à condição de cultura oficial do Brasil (todas as pessoas bem informadas se lembram mto bem disso, pois esse movimento tinha fortes raízes na imprensa de SP, acabando por ser amortecido por campanha anti-nordestina no Rio de Janeiro, encabeçada pelo sacripanta Paulo Francis et catrevagem...). Acabou vingando apenas o avassalador predomínio do Forró, da Carne de Sol, da Tapioca e outros assim, inclusive até o "nordestinês" foi aceito, sem o escracho anterior, por exemplo, a aceitação de palavras e expressões regionais, tais como Õxente (que é isso ?), Arretado (bacana), Macaxeira (aipim), Cabra (cara), Bichinho (fofinho) e uma centena de outras assim. Tudo isso só foi possível devido ao deslumbramento e encantamento dos turistas do resto do Brasil com as atrações e belezas turísticas da região: Noronha (a mais bela praia do mundo, segundo pesquisa mundial recente da rede americana TripAdvisor);Jeri (uma das 10 mais bonitas do mundo, segundo o Washington Post); as Dunas de Genipabu, o mais emocionante passeio NATURAL do mundo, segundo David Beckham; as inigualáveis piscinas naturais de Alagoas (Maragogi e Maceió), Porto de Galinhas, Picãozinho e Seixas em Jampa, "parrachos" de Maracanaú-RN; as dunas de Cumbuco-CE e dos Lençóis Maranhenses, do tamanho da cidade de São Paulo (!); a cor verde esmeralda dos mares nordestinos; os condomínios residenciais internacionais próximos de Natal/RN, onde moram Suecos, Noruegueses, ISLANDESES e outros assim; as "Vilas" de gastrô e badalações mil de Arraial D'Ajuda (grande presença de hermanos e ISRAELENSES), Porto Seguro (hermanos e outros), Pipas e centena de outros "hits" turísticos e afins. Claro que não podemos olvidar a fantástica marca cultural nordestina em termos de Literatura (quando a Academia de Letras era a casa da intelectualidade autêntica, o Nordeste quase chegou a ter 2/3 de seus membros), Cinema (Glauber Rocha, Cineastas recifenses e outros), Dramaturgia (Nelson Rodrigues, Ariano Suassuna, Dias Gomes, e outros), MPB (Caetano, Gil, João Gilberto, Gal, Betânia, Geraldo Vandré e mtos outros), Música Clássica (Eleazar de Carvalho, Jacques Klein, José Siqueira, etc), Poesia (João Cabral de Melo Neto, Manoel Bandeira,etc), Imprensa (Castelo Branco, Assis Chateaubriand, Barbosa Lima Sobrinho e outros), Educação (Paulo Freire e outros), Sociologia (Gilberto Freyre), Economia (Celso Furtado), Escultura (Brenand), Pintura (Cícero Dias, Antonio Bandeira, etc), Humor (Chico Anisio, Tom Cavalcanti, Renato Aragão, etc), Artesanato (Vitalino e outros), Poesia Popular (Patativa do Assaré, recebeu várias visitas de Cineasta francesa deslumbrada com o fato de um Agricultor analfabeto fazer poesia + Chico Antônio do RN, visitado mtas vezes pelo Pai do Modernismo brasileiro, Mário de Andrade, que vinha de SP só para se extasiar com a incrível poesia matuta de outro Agricultor analfabeto. Estes exemplos acima são apenas de algumas proeminências da Cultura clássica, erudita do Nordeste, a lista completa é muito maior e, para fechar, temos o rol das personalidades chamadas de Mestres da Cultura Popular nordestina, maior parte dela de origem européia (Portugal, Espanha e Itália), transmutadas pelo Talento nordestino de tal sorte que são consideradas manifestações culturais autóctonas, inclusive uma delas, o Repente e a Embolada, foi REEXPORTADA, em nossos dias, para a Occitânia francesa de onde veio originalmente (Marselha, Toulouse, Nimes e outras) o Repente e a Embolada, esses que queremos destacá-los aqui, para chamar a atenção, pelo CRIMINOSO abandono e falta do mínimo apoio, dos órgãos culturais e afins dos Governos estaduais e municipais dos NOVE estados nordestinos. As duplas de Repentistas e Emboladores que, há mais de quarenta anos, atuam mais fortemente no RJ, SP, BSB, CUR e FLORIPA, em suas ruas e praças (até em programas televisivos de variedades) extasiando os povos dessas cidades, divulgando essas artes populares nordestinas, antes totalmente desconhecidas dos sulistas, em troca de uns trocados de sobrevivência, porém recebendo eles inesperados apoios e coberturas das redes sociais, e nada vezes nada dos Governos do NE. Um absurdo! Um descaso! Uma total falta de visão cultural! Na minha modéstia posição, tenho enviado alguns projetos de divulgação e apoio para tais artistas populares, sem receber sequer quaisquer respostas desses "orgãos culturais nordestinos" e das mídias dessas regiões, SEQUER UM SINAL DE RECEBIMENTO, repito das Secretarias de Cultura, de Turismo e dos jornais, rádios e televisões dos 9 estados do NE. UMA VERGONHA!

Sugira edições para melhorar o que apresentamos.
Melhorar este anúncio
Seja a primeira pessoa a carregar uma fotografia

As melhores formas de conhecer atrações semelhantes


4.0
6 avaliações
Excelente
2
Muito bom
3
Razoável
1
Fraco
0
Péssimo
0

MARCELO ELIAS - B
Brasília, DF3 353 contributos
Museu Nordeste de Tradição e Artes: pequena sala na Casa do Ceará tentando destacar uma das maiores Culturas do Brasil
mar de 2019 • A sós
Apenas uma saleta com acervo cultural maior do Ceará: pertences do Padre Cícero - cultura Tapeba(índios do Cariri-CE) + fósseis de Santana do Cariri-CE + fotos sobre o Cangaço e Cangaceiro (NE) e outros.
Apesar do espaço pequeno para o gigantesco tamanho da cultura nordestina, há de se elogiar o esforço da Casa do Ceará, a única e super-organizada representação cultural do Nordeste em Brasilia, área mto grande em zona nobre da Asa Norte, prestando mil serviços sociais, assistenciais e culturais aos migrantes da região no DF
Como todos sabemos, Brasília tem mta gente de todas as regiões brasileiras, predominando, por Estados, em primeiro lugar, Minas Gerais com algo como 600 mil mineiros no DF: por região, o Nordeste é o primeiro com quase um milhão e meio de nordestinos, Pernambuco e Bahia na frente. Tem grandes colônias gaúcha, cearense, paraibana, etc, e razoáveis dos demais Estados. Moral dessa história, o DF deveria ter boas Representações governamentais estaduais do NE, até Centros Culturais nos moldes dos tradicionais Centros de Tradições Gaúchas, espalhados por quase todo o Brasil, conservando e divulgando as ricas e belas tradições dos Pampas, aliás deveriam servir de modelos para todos os estados brasileiros, por falar nisso, em São Paulo, tem um poderoso Centro de Tradições Nordestinas, promovendo do que jeito que pode a grande cultura dessa Região.
Quando coletei dados e subsídios para meu livro Brasil-Nordeste de luta contra o preconceito anti-NE, lançado há dois anos atrás, levantei junto aos Cadernos de Cultura e Folclore do Ministério da Educação e Cultura e vi que o Nordeste era disparada a região com mais manifestações em tais áreas, com quase 300 eventos cadastrados, vindo mto depois MG com uns 80, porisso que falamos acima em "gigantesca cultura nordestina", não se tratando de bairrismo, mas sim de orgulho cultural desses 9 estados brasileiros, malgrado sua enorme pobreza econômica, uma das causas do inclassificável e renitente preconceito anti-nordestino.
No inicio do "boom" turístico nordestino, quando mais de 80% do turismo brasileiro era carreado para essa região, esse preconceito foi bastante atenuado - a cultura nordestina como um todo mostrou sua pujança para o Brasil, a tal ponto que a inteligentsia paulistana, acho que nas dédadas 60/70, chegou a propor que a cultura nordestina fosse alçada à condição de cultura oficial do Brasil (todas as pessoas bem informadas se lembram mto bem disso, pois esse movimento tinha fortes raízes na imprensa de SP, acabando por ser amortecido por campanha anti-nordestina no Rio de Janeiro, encabeçada pelo sacripanta Paulo Francis et catrevagem...).
Acabou vingando apenas o avassalador predomínio do Forró, da Carne de Sol, da Tapioca e outros assim, inclusive até o "nordestinês" foi aceito, sem o escracho anterior, por exemplo, a aceitação de palavras e expressões regionais, tais como Õxente (que é isso ?), Arretado (bacana), Macaxeira (aipim), Cabra (cara), Bichinho (fofinho) e uma centena de outras assim.
Tudo isso só foi possível devido ao deslumbramento e encantamento dos turistas do resto do Brasil com as atrações e belezas turísticas da região: Noronha (a mais bela praia do mundo, segundo pesquisa mundial recente da rede americana TripAdvisor);Jeri (uma das 10 mais bonitas do mundo, segundo o Washington Post); as Dunas de Genipabu, o mais emocionante passeio NATURAL do mundo, segundo David Beckham; as inigualáveis piscinas naturais de Alagoas (Maragogi e Maceió), Porto de Galinhas, Picãozinho e Seixas em Jampa, "parrachos" de Maracanaú-RN; as dunas de Cumbuco-CE e dos Lençóis Maranhenses, do tamanho da cidade de São Paulo (!); a cor verde esmeralda dos mares nordestinos; os condomínios residenciais internacionais próximos de Natal/RN, onde moram Suecos, Noruegueses, ISLANDESES e outros assim; as "Vilas" de gastrô e badalações mil de Arraial D'Ajuda (grande presença de hermanos e ISRAELENSES), Porto Seguro (hermanos e outros), Pipas e centena de outros "hits" turísticos e afins.
Claro que não podemos olvidar a fantástica marca cultural nordestina em termos de Literatura (quando a Academia de Letras era a casa da intelectualidade autêntica, o Nordeste quase chegou a ter 2/3 de seus membros), Cinema (Glauber Rocha, Cineastas recifenses e outros), Dramaturgia (Nelson Rodrigues, Ariano Suassuna, Dias Gomes, e outros), MPB (Caetano, Gil, João Gilberto, Gal, Betânia, Geraldo Vandré e mtos outros), Música Clássica (Eleazar de Carvalho, Jacques Klein, José Siqueira, etc), Poesia (João Cabral de Melo Neto, Manoel Bandeira,etc), Imprensa (Castelo Branco, Assis Chateaubriand, Barbosa Lima Sobrinho e outros), Educação (Paulo Freire e outros), Sociologia (Gilberto Freyre), Economia (Celso Furtado), Escultura (Brenand), Pintura (Cícero Dias, Antonio Bandeira, etc), Humor (Chico Anisio, Tom Cavalcanti, Renato Aragão, etc), Artesanato (Vitalino e outros), Poesia Popular (Patativa do Assaré, recebeu várias visitas de Cineasta francesa deslumbrada com o fato de um Agricultor analfabeto fazer poesia + Chico Antônio do RN, visitado mtas vezes pelo Pai do Modernismo brasileiro, Mário de Andrade, que vinha de SP só para se extasiar com a incrível poesia matuta de outro Agricultor analfabeto.
Estes exemplos acima são apenas de algumas proeminências da Cultura clássica, erudita do Nordeste, a lista completa é muito maior e, para fechar, temos o rol das personalidades chamadas de Mestres da Cultura Popular nordestina, maior parte dela de origem européia (Portugal, Espanha e Itália), transmutadas pelo Talento nordestino de tal sorte que são consideradas manifestações culturais autóctonas, inclusive uma delas, o Repente e a Embolada, foi REEXPORTADA, em nossos dias, para a Occitânia francesa de onde veio originalmente (Marselha, Toulouse, Nimes e outras) o Repente e a Embolada, esses que queremos destacá-los aqui, para chamar a atenção, pelo CRIMINOSO abandono e falta do mínimo apoio, dos órgãos culturais e afins dos Governos estaduais e municipais dos NOVE estados nordestinos.
As duplas de Repentistas e Emboladores que, há mais de quarenta anos, atuam mais fortemente no RJ, SP, BSB, CUR e FLORIPA, em suas ruas e praças (até em programas televisivos de variedades) extasiando os povos dessas cidades, divulgando essas artes populares nordestinas, antes totalmente desconhecidas dos sulistas, em troca de uns trocados de sobrevivência, porém recebendo eles inesperados apoios e coberturas das redes sociais, e nada vezes nada dos Governos do NE. Um absurdo! Um descaso! Uma total falta de visão cultural!
Na minha modéstia posição, tenho enviado alguns projetos de divulgação e apoio para tais artistas populares, sem receber sequer quaisquer respostas desses "orgãos culturais nordestinos" e das mídias dessas regiões, SEQUER UM SINAL DE RECEBIMENTO, repito das Secretarias de Cultura, de Turismo e dos jornais, rádios e televisões dos 9 estados do NE. UMA VERGONHA!
Escrita a 9 de março de 2019
Esta avaliação é a opinião subjetiva de um membro do Tripadvisor e não da TripAdvisor LLC.

MARCELO ELIAS - B
Brasília, DF3 353 contributos
Museu Nordeste na Casa do Ceará-Asa Norte: tradição e artes do Nordeste
mar de 2018 • Casais
Na realidade é apenas uma espaço na Casa do Ceará reservado para exposição do artesanato nordestino: pertences do Padre Cícero + fotos e acervo cultural sobre o Cangaço e os cangaceiros + painéis sobre a cultura Tapeba (índios de Caucaia-CE) +rendas, utensílios, artesanato, comestíveis, toalhas, pinturas em vasos, roupas, objetos e escultura, fósseis de Santana do Cariri,
Escrita a 22 de março de 2018
Esta avaliação é a opinião subjetiva de um membro do Tripadvisor e não da TripAdvisor LLC.

Anderson L
488 contributos
Nordeste em Brasília
dez de 2015 • Casais
Esse museu conta com uma variedade grande de artezanato tipicamente nordestino. Localiza-se na Casa do Ceará, Asa Norte.
Escrita a 17 de fevereiro de 2016
Esta avaliação é a opinião subjetiva de um membro do Tripadvisor e não da TripAdvisor LLC.

Isalmir
Rio de Janeiro, RJ1 017 contributos
Espaço pequeno
abr de 2015 • Casais
Fica na casa Ceará e tem artesanato e toda sorte de peças que lembram o nordeste - rendas, utensílios, artesanato e comestíveis.
Escrita a 4 de maio de 2015
Esta avaliação é a opinião subjetiva de um membro do Tripadvisor e não da TripAdvisor LLC.

suely p
Brasília, DF521 contributos
para turista ..............
jan de 2015 • Casais
e de encher os olhos, com tanta criatividade, rendas, toalhas, pinturas em vasos, um acervo imensso do artista nordestino que tem uma cultura imenssa agora e so visitar
Escrita a 21 de fevereiro de 2015
Esta avaliação é a opinião subjetiva de um membro do Tripadvisor e não da TripAdvisor LLC.

Marcio P
Brasília, DF564 contributos
Pouca coisa para ver
ago de 2014 • A sós
Esse museu se localiza dentro da Casa do Ceará e fica aberto das 8h às 17h durante os dias de semana. A visita é gratuita. O espaço é bem pequeno , sendo possível ver vestuário, artesanato e esculturas nordestinas.
Escrita a 12 de agosto de 2014
Esta avaliação é a opinião subjetiva de um membro do Tripadvisor e não da TripAdvisor LLC.
Falta alguma informação ou encontrou algo errado?
Sugira edições para melhorar o que apresentamos.
Melhorar este anúncio
Perguntas frequentes sobre Museu Nordeste de Tradição e Artes