Todos os artigos Esta é a melhor altura para visitar o Grand Canyon

Esta é a melhor altura para visitar o Grand Canyon

A luz realça um trilho no topo de um cume estreito ao final da tarde
Colleen Stinchcombe
Por Colleen Stinchcombe12/12/2022 8 minutos de leitura

É difícil não ficar impressionado com o Grand Canyon. Afinal, estamos a olhar para camadas puras de rocha sedimentar a cair 1,6 km na terra, onde o rio Colorado tem vindo a esculpir um caminho há, pelo menos, cinco milhões de anos. Com isso em mente, só “Grand” não lhe faz justiça. Não é de admirar que o parque receba mais de 4,5 milhões de visitantes todos os anos. Mas até as multidões mais ruidosas ficam em silêncio quando um pôr do sol pinta as paredes do desfiladeiro a laranja e vermelho. Se está pronto para fazer as malas e vê-lo pessoalmente, pode estar a perguntar-se quando é que é exatamente a melhor altura para ir em termos de clima, multidões, atividades e até avistamentos de bisões. Temos todos os detalhes aqui.

A nossa escolha: início de outubro

Uma ponte entre as paredes do desfiladeiro sobre um rio verde

O South Rim está no seu maior esplendor em outubro. As temperaturas máximas durante o dia atingem os 18 graus, o que significa que não lutará contra o sol se quiser fazer uma das famosas caminhadas do parque, como o Bright Angel Trail ou o South Kaibab Trail, a meio do dia.

As grandes multidões do verão terão diminuído (há cerca de menos 150 000 visitantes em outubro do que em julho), mas recursos importantes, como o autocarro shuttle, os restaurantes e as excursões com um guarda, ainda estarão em pleno funcionamento até, pelo menos, 15 de outubro. Também terá uma maior probabilidade de conseguir alojamento no parque, a um preço ligeiramente melhor, e é provável que consiga uma reserva para jantar no El Tovar sem muito pré-planeamento.

No entanto, o parque tem algo a oferecer durante todo o ano, por isso continue a ler para saber mais sobre as vantagens de cada estação.

A maioria dos serviços do parque: verão (do Dia da Memória ao Dia do Trabalhador)

Várias pessoas a apreciar a vista de um caminho de arenito acima do desfiladeiro

Não se vai sentir só durante o verão no Grand Canyon. Na verdade, provavelmente vai partilhar o desfiladeiro com mais 2 milhões de pessoas. O parque recomenda chegar antes das 9:00 para evitar as filas de entrada mais longas (ou considerar apanhar o comboio). A maioria dos restaurantes funciona por ordem de chegada, o que pode abrandar as refeições quando as multidões ficam com fome. Com o calor abrasador do Arizona, pode ser tentado a usar o mínimo possível, mas um chapéu e camadas finas, largas e de cor clara vão ajudar a manter-se mais fresco e a evitar os piores malefícios do sol. Não se esqueça também dos óculos de sol e de uma garrafa de água grande.

Clima: o período de maio a junho permite evitar o clima mais escaldante do parque com menor probabilidade de chuva, enquanto o período de julho e agosto pode ser desafiante se não gostar de se sentir como um lagarto numa pedra quente. Enquanto os trilhos no topo do Rim podem ser confortavelmente quentes (com pouca sombra), o vale do desfiladeiro pode ser até 20 graus mais quente. Além disso, as temperaturas no centro do desfiladeiro podem ultrapassar os 49 graus.

Apesar do calor abrasador, as camadas são importantes. Os dias quentes de verão podem mudar para noites frias e as monções de verão trazem chuva em abundância. As tempestades da tarde são ótimas para se refrescar, mas quem caminhar no desfiladeiro precisa de se manter a par das previsões meteorológicas para evitar inundações repentinas.

Atividades: é provável que a sua principal atividade no Grand Canyon seja a caminhada. Caminhe ao longo do popular South Rim do desfiladeiro para ter vistas incríveis, como Mather Point, Hopi Point ou Shoshone Point. (Há também um autocarro shuttle se estiver cansado.) Se o tempo permitir, uma caminhada de dia pelo Bright Angel ou South Kaibab Trail é uma escolha popular. Os caminhantes experientes com boas condições meteorológicas podem obter licenças para caminhar até ao fundo do desfiladeiro e acampar ou ficar alojados no Phantom Ranch. (Tenha em atenção que é necessário fazer reservas com, pelo menos, um ano de antecedência.)

Muitas empresas disponibilizam excursões pelo parque, incluindo explorações em veículos todo-o-terreno e voos de helicóptero. Quando precisar de uma pausa do calor, visite uma das lojas ou museus interiores. Compre artigos nativo-americanos artesanais na Hopi House, conheça a história dos fotógrafos Emery e Ellsworth Kolb e compre lembranças no Kolb Studio ou saiba mais sobre as camadas de rocha e areia que compõem as paredes do desfiladeiro no Yavapai Geology Museum. Quando a fome chegar, experimente o Maswik Lodge Food Court. Se tiver a sorte de estar a acampar, encontre um lugar confortável para relaxar depois de escurecer e prepare-se para uma das melhores observações de estrelas da sua vida.

Pode evitar grande parte da multidão de verão ao optar pelo North Rim, mas vai trocar essa tranquilidade por menos serviços. Além disso, vai ter de conduzir bastante, pois fica, pelo menos, a cinco horas de carro do South Rim (se não parar para ir à casa de banho). Por outro lado, terá um tempo mais fresco e trilhos menos conhecidos assim que chegar lá. Bem perto do Centro de Visitantes do North Rim fica Bright Angel Point, uma das vistas mais icónicas do North Rim. A Rota Panorâmica do North Rim de 37 quilómetros proporciona vistas panorâmicas do desfiladeiro de pontos como o Cape Imperial e o Cape Royal.

Um lagarto verde e castanho às riscas para numa rocha

Vida selvagem: não existem só cascavéis e bredos-brancos por aqui, pessoal. Há mais de 90 espécies de mamíferos no Grand Canyon, que é mais do que em Yellowstone. Muflões-das-montanhas-rochosas, bisões (apenas no North Rim), alces, veados, pumas-do-leste-da-América-do-Norte e bassariscos (o animal oficial do estado do Arizona que tem grandes olhos de cachorro e uma cauda às riscas) vivem todos no parque. Porém, na maior parte das vezes, vai ver veados, alces e esquilos porque a maioria dos mamíferos é noturna.

E sim, tenha cuidado com onde pisa, pois nove espécies diferentes de cascavel vivem na área do parque geral, bem como duas outras cobras venenosas. Ao contrário de outras criaturas, o que mais gostam é de um dia quente ao sol. Felizmente, as mordeduras de cascavéis são raras e estas são muito boas a enviar um sinal de aviso. (Saberá quando o ouvir.) Dê a todas as cobras que vir muito espaço.

Melhor tempo para caminhadas: de março a maio e de setembro a novembro

Uma luz magenta e azul pinta as paredes do desfiladeiro com uma pessoa num trilho

O Grand Canyon está indiscutivelmente no seu melhor durante o período entre a época alta e a época baixa, ou seja, aquela altura mágica no início e no fim da época alta do verão. Nestes dois períodos de primavera e outono, os hotéis costumam ficar mais disponíveis e também com melhores preços. Os longos dias de caminhadas são ideais com temperaturas mais frescas e flores silvestres – sim, flores no deserto – desabrocham na primavera.

O outono é tranquilo comparado com o verão graças ao regresso à escola das crianças. Além disso, a folhagem é imperdível: as bétulas, os carvalhos e os álamos-trémulos da área brilham em tons de dourado, laranja e carmesim. Os dias mais curtos também fazem com que seja mais fácil desfrutar da caleidoscopia do nascer e pôr do sol no desfiladeiro.

Clima: o outono tem tempo seco comparado com as monções do verão. As temperaturas diurnas rondam os 10 e os 16 graus no South Rim, pelo que são perfeitas para caminhadas. Tal como no verão, fica muito mais frio à noite (muitas vezes abaixo de zero), por isso leve na mala camadas quentes e um saco-cama extraquente se estiver a acampar no exterior. O North Rim só é acessível de carro depois de 15 de maio e a queda de neve pode encerrá-lo a qualquer momento depois de 15 de outubro.

Atividades: esta é uma época de caminhadas, caminhadas e mais caminhadas. Os mesmos trilhos do verão estão disponíveis, mas os caminhantes mais experientes podem considerar partir numa viagem de mochila de vários dias ou apenas seguir por alguns dos trilhos menos utilizados do parque, como o Grandview Trail para Horseshoe Mesa. No South Rim, a maioria dos serviços ainda está aberta, embora o serviço de autocarro shuttle diminua para duas rotas em vez de quatro a partir de 15 de outubro. No North Rim, acompanhe o Web site do parque, uma vez que esta área fechará assim que o tempo de inverno chegar (ou no dia 1 de dezembro, consoante o que vier primeiro). No entanto, é uma bela época do ano para fazer uma das viagens noturnas do North Rim, como do North Kaibab Trail para Roaring Springs.

Vida selvagem: menos pessoas e temperaturas mais frescas significam uma maior probabilidade de ver a vida selvagem, como veados ou alces. No outono, os campistas devem estar atentos para ouvir uma melodia de assobio durante a noite, que é o som dos alces a mostrarem-se durante a época de acasalamento (cio). Quando estiver à volta da fogueira a assar s'mores depois de um pôr do sol prematuro, veja se consegue vislumbrar morcegos a voar à procura de comida.

A melhor altura para evitar multidões: de dezembro a fevereiro

Uma das paredes do Grand Canyon polvilhada de neve

Se realmente quer o parque só para si, o inverno é a melhor altura para o visitar. As multidões são poucas, com menos de 10% dos visitantes do verão. O North Rim encerra de 1 de dezembro (ou mais cedo se o tempo exigir) a 15 de maio todos os anos, mas o South Rim está aberto durante todo o ano. Embora a neve ocasional cubra o desfiladeiro, ainda é possível caminhar em muitos trilhos. E mesmo que neve, um desfiladeiro coberto de branco é uma vista espetacular.

Clima: vai ser frio no inverno, mesmo sendo o deserto, pois as temperaturas máximas médias rondam os 7 graus e as temperaturas baixas são negativas. Tal como no verão, o fundo do desfiladeiro costuma ser mais quente, isto é, se tiver uma licença e estiver disposto a caminhar até tão longe. (Sim, o Phantom Ranch está aberto todo o ano e é mais fácil conseguir uma cabana durante estes meses frios.) A maioria dos dias de inverno é ensolarada e não tem a névoa de verão no desfiladeiro, embora as tempestades de inverno possam limitar a visibilidade e trazer poeiras de neve.

Atividades: sejam quais forem as condições meteorológicas, pode caminhar ou utilizar o autocarro shuttle para se deslocar até alguns dos miradouros mais impressionantes do parque ao longo do South Rim. (Verifique o horário do parque para ver com que frequência estão a funcionar.) Contudo, se tiver camadas (e os outros dez essenciais), prepare-se para uma caminhada. O Hermit Trail costuma ficar relativamente sem neve e gelo na maior parte do ano devido à elevação mais baixa e à exposição à luz solar. O South Kaibab Trail, que é popular no verão, pode começar gelado, mas melhora após os primeiros quatrocentos metros. O equipamento de tração, como microspikes, pode ser um bom complemento se encontrar gelo. Quando tiver tudo pronto para se aquecer, temos duas palavras para si: chocolate quente. Desfrute de uma chávena de cacau na Grand Canyon Conservancy Park Store, em frente ao Centro de Visitantes, ou almoce num dos vários restaurantes no parque, como o El Tovar, o Arizona Steakhouse ou o Yavapai Tavern.

Vida selvagem: boas notícias para as pessoas com fobia a cobras – nesta época, a maioria delas está escondida. No entanto, ainda pode vislumbrar alces, condores da Califórnia, corvos ou esquilos-de-Abert. No entanto, os avistamentos de criaturas serão ocasionais. A maioria dos animais estará abraçada a comida ou a hibernar.

Conclusão

O período de março ou outubro recebe o nosso voto para o melhor momento de visita, com mais opções de caminhadas e menos multidões e exposição ao calor. Contudo, não se preocupe se vier noutra altura. O Grand Canyon tem algo a oferecer durante todo o ano. Junte-se às multidões e desfrute do calor do verão, saboreie as temperaturas agradáveis no outono ou tenha o South Rim quase só para si no inverno. Para obter a melhor experiência, planeie as licenças e o alojamento com antecedência e leve equipamento apropriado para as condições meteorológicas.

Mais artigos semelhantes: