Todos os artigos 3 dias perfeitos em Florença

3 dias perfeitos em Florença

Uma vista aérea de Florença sobre a cúpula cor de ferrugem da Catedral de Santa Maria del Fiore
Maria Kirsten Adelmann
Por Maria Kirsten Adelmann17/02/2023 13 minutos de leitura

Florença faz muitos favores aos viajantes: é compacta, plana e fácil de navegar, além disso, todo o centro da cidade é uma atração por si só. Em três dias, pode ver as principais maravilhas arquitetónicas, maravilhar-se com obras-primas de arte ocidental, passear pelas ruas calcetadas e relaxar com uma tábua de queijos e chianti.

Este itinerário foi criado para equilibrar os destaques (olá, Miguel Ângelo) com um toque de la dolce vita (olá, gelado). Foi por isso que considerámos as pausas para descansar os pés, provar a gastronomia e deixar-se envolver pela atmosfera. Além disso, todas as paragens são baseadas em avaliações e classificações de outros viajantes do Tripadvisor, para que não perca tempo em locais sem interesse.


DIA UM

Fatias de piza no Mercato Centrale cobertas de alcachofra e tomates secos

MANHÃ: um ícone arquitetónico com vistas impressionantes sobre a cidade

Chegue cedo à Piazza del Duomo, uma famosa praça repleta de maravilhas arquitetónicas. Desfrute de um croissant e um cappuccino antes que a zona seja invadida. Qualquer local serve, mas o Café de la Paix é ideal, uma vez que está perfeitamente posicionado junto ao brilhante exterior em mármore de uma das maiores igrejas do mundo: a Catedral de Florença, também conhecida como Cattedrale di Santa Maria del Fiore ou Duomo, é a sua primeira paragem do dia.

Se a cafeína não aumentar a sua frequência cardíaca, os mais de 450 degraus até ao topo da cúpula da Catedral de Florença, a Cupola del Brunelleschi, vão fazê-lo. Mas a subida vale a pena, não só para ver a incrível cúpula em si, mas também para desfrutar de uma vista da cidade que lhe vai tirar o fôlego (se as escadas ainda não o tiverem feito). Sugestão: a entrada na cúpula e a entrada na catedral são separadas. A última é gratuita, mas as filas são horrivelmente longas. Se não tiver paciência nem o vestuário adequado para a igreja, basta pré-reservar um bilhete programado para ver a cúpula, que é a verdadeira atração e mais impressionante do que o interior da catedral.

No momento da escrita deste artigo, o bilhete para a cúpula dá-lhe acesso a todos os monumentos da Piazza del Duomo durante três dias, como a torre do sino Campanile di Giotto. Se não quiser subir mais 400 degraus, basta ver esta maravilha gótica do século XIV do lado de fora e visitar o Museo dell’Opera del Duomo (OPA), onde passará pelo menos uma hora a explorar as 750 obras de arte relacionadas com o Duomo. “As Portas do Paraíso”, deslumbrantes portas em painéis de bronze dourado, são o grande destaque aqui, juntamente com esculturas de Miguel Ângelo e Donatello.

Os viajantes dizem: “[O Duomo] é absolutamente imperdível se visitar Florença. Mesmo do exterior, é DESLUMBRANTE. É lindíssimo e é ainda mais agradável sentar-se, comer e beber num dos restaurantes que o rodeiam e poder admirar verdadeiramente o edifício. Na cúpula, pode subir até ao topo e ter tempo para ver todos os detalhes. Esta foi a minha parte favorita da nossa viagem e não hesitaria em repeti-la!” —yasmineyvonne

Desvios que valem a pena ao longo do caminho

TARDE: passeie pelas ruas medievais

Merece um lanche depois daquela exigente subida matinal. Caminhe um pouco até La Strega Nocciola Gelateria Artigianale - Firenze Duomo, que abre ao meio-dia, e desfrute de um gelado verdadeiramente excecional. É difícil errar no que toca ao sabor, mas o pistácio é um favorito se não conseguir escolher.

Depois da pausa, caminhe cinco minutos até ao Mercato Centrale. (Passe pela Basilica di San Lorenzo pelo caminho, uma igreja renascentista onde os Médici estão enterrados.) O mercado ao ar livre está repleto de comida italiana: piza, massa, panini, gnocchi e lasanha. O Pasta Fresca é um dos locais favoritos para pratos deliciosos de massa fresca a um preço incrível.

Estes hidratos de carbono vão dar-lhe energia para um passeio de tarde para sul, pelas ruas calcetadas em direção ao rio Arno. Este é o centro histórico de Florença, Património Mundial da UNESCO graças às suas raízes medievais e renascentistas e arquitetura preservada.

A artéria principal é a Via dei Calzaiuoli, ladeada de lojas e apenas para peões. Considere passar pela Piazza della Repubblica, uma praça repleta de cafés com o seu próprio carrossel. Não deixe de visitar também a Piazza della Signoria, a praça principal com a Fonte de Neptuno, as esculturas ao ar livre da Loggia dei Lanzi e o imponente Palazzo Vecchio, o edifício medieval da câmara municipal, onde se encontra uma cópia do David de Miguel Ângelo. Se tiver tempo, vale a pena entrar para ver os enormes frescos e o teto com painéis, já para não falar da vista para o Duomo, mas é recomendável reservar um bilhete antecipadamente.

OPÇÕES DE EXCURSÕES HISTÓRICAS NO CENTRO DA CIDADE

  • A excursão privada O melhor de Florença abrange locais populares da cidade e pérolas escondidas em ambos os lados do Arno em apenas três horas, desde o Duomo até ao Palazzo Pitti. A melhor parte desta excursão privada é que os guias têm todo o gosto em adaptar-se aos seus interesses e ritmo.
  • A história da poderosa e rica família Médici está intimamente ligada à história da cidade de Florença. A excursão a pé Contos renascentistas e dos Médici destaca esta história ao passar pelas suas praças mais famosas. Esta excursão é uma das favoritas no Tripadvisor, com uma classificação elevada de mais de 2000 colaboradores. (Tenha em atenção que os guias turísticos são pagos em gorjetas; é normal oferecer, pelo menos, 10 euros por uma boa excursão.)
  • Se preferir monumentos a praças, a excursão a pé de duas horas A essência de Florença foca-se em atrações escondidas que, de outra forma, poderá não visitar. (Tal como acontece com a excursão dos Médici, esta é uma excursão baseada em gorjetas, por isso planeie pagar, pelo menos, 10 euros diretamente ao guia.)

NOITE: um pôr do sol (e piza) sobre Florença

Quando o sol se começar a pôr, dirija-se à Piazzale Michelangelo. Não há como negar: em comparação com os passeios rápidos pelo centro da cidade, esta caminhada é mais longa. Consoante o local onde se encontra, será uma caminhada de cerca de 20 minutos com uma subida íngreme no final. (Se estiver cansado só de ler, o autocarro número 12 deixa-o no topo.) Será recompensado com vistas épicas de toda a cidade com telhados de terracota. Se escolher a hora certa, poderá desfrutar de uma bebida ou um gelado antes de ver um pôr do sol espetacular. Em seguida, aproveite a vista noturna com uma piza no Terrazze Michelangelo, perfeitamente localizado.

Desvios que valem a pena ao longo do caminho

DIA DOIS

A Ponte Vecchio, sobre o Arno num dia nublado, com três andares de edifícios com janelas por cima

MANHÃ: ícones renascentistas em Uffizi

A Galeria Uffizi (Gallerie Degli Uffizi) é indiscutivelmente um dos museus mais famosos do mundo com a sua coleção de arte renascentista. A sua melhor aposta para evitar filas é chegar logo quando abrir com um bilhete pré-reservado. Veja primeiro “O Nascimento de Vénus” de Botticelli e, em seguida, passe o resto da manhã a apreciar as esculturas antigas e as obras-primas renascentistas de Miguel Ângelo, Rafael, Leonardo (da Vinci), Caravaggio e Giotto, entre outros.

O que os viajantes dizem: “O Uffizi é magnífico e quase avassalador! Poder ver tanto do que os Médici patrocinaram, colecionaram e incentivaram é uma emoção. O Uffizi é um belo edifício e a coleção de arte renascentista é incomparável. Recomendo vivamente fazer uma pausa quando chegar ao café. Sentar-nos no exterior com um Bellini, um petisco e um café, com o Duomo à vista, deu-nos tempo para refletir sobre o que acabámos de ver e respirar antes de entrar para ver mais.” —nkdp

OPÇÕES DE EXCURSÕES NA GALERIA UFFIZI

  • Se ainda não estudou história de arte, o guia de áudio, disponível na entrada do museu por uma razoável taxa extra, pode ajudar a navegar pelas melhores obras do museu. A livraria também vende guias, se preferir texto.
  • Esta Excursão guiada na Galeria Uffizi para pequenos grupos, que dura pelo menos 1,5 horas e limita as excursões a 9 pessoas, contextualiza a arte e destaca as obras mais famosas do museu. Entrada e excursão incluídas.
  • A Excursão guiada a pé do Museu Uffizi para pequenos grupos + Excursão a pé do Museu da Academia abrange os dois museus mais famosos de Florença, com uma pequena excursão pela cidade. Perfeita para os viajantes que querem ver só os destaques, a excursão de 3,5 horas é uma forma eficiente de cobrir várias atrações de uma só vez.

TARDE: Ponte Vecchio e Palazzo Pitti

Três horas de arte renascentista exigem um almoço descontraído. Experimente a Trattoria Alfredo, que serve pratos clássicos da Toscana, como massa Tagliolini fresca com trufas regionais.

Em seguida, atravesse o Arno através da icónica ponte medieval Ponte Vecchio, repleta de lojas e comerciantes que vendem joias em ouro dos famosos ourives da cidade (S. Vaggi é um favorito). Agora, está no bairro de Oltrarno, literalmente, “o outro lado do Arno”.

Continue até ao Palazzo Pitti, a 10 minutos a pé da trattoria. Em tempos o lar dos Médici, o palácio do século XV é agora um complexo de cinco museus. A principal atração aqui é a Galeria Palatina, que apresenta a coleção dos Médici ao estilo sumptuoso do século XVII: pense em Ticiano, Caravaggio, Rubens e Rafael em molduras douradas extravagantes.

NOITE: jantar e bebidas ao estilo italiano

Quando tiver explorado todo o luxo dos Médici, dirija-se ao Volume Firenze, um bar acolhedor nas proximidades com esplanada na Piazza Santo Spirito. Participe na clássica tradição italiana do aperitivo, a resposta de Itália à Happy Hour, com bebidas a preços acessíveis que incluem petiscos genuínos em estilo de buffet, disponíveis das 18:30 às 22:00. Relaxe com azeitonas e carne curada e, em seguida, caminhe pela rua até à Osteria del Cinghiale Bianco, que serve pratos toscanos clássicos, como o ragu de javali com pappardelle.

Termine a noite com bebidas no MAD Souls & Spirits, um bar de cocktails moderno a cinco minutos a pé do restaurante. Se gosta de bebidas amargas, Florença é o local certo para saborear um Negroni, inventado aqui em 1919. (Não hesite em brindar ao próprio Conde Negroni.)

Desvios que valem a pena ao longo do caminho

DIA TRÊS

Os visitantes aproximam-se da Basílica de Santa Croce, uma igreja branca e cinzenta ornamentada com uma cruz no topo

MANHÃ: a obra-prima de Miguel Ângelo e um mosteiro do século XV

Prepare-se para um dia de visitas no Ala Grande Caffe, apreciado pelos seus croissants de pistácio recheados de creme e cappuccinos, e depois faça uma breve caminhada até à Galleria dell’Accademia, um dos museus mais populares de Florença. Reserve um bilhete com antecedência para evitar filas e, em seguida, dirija-se diretamente à estrela do espetáculo: o David de Miguel Ângelo. Não é crime ver a famosa estátua e sair, mas porque não passar uma hora a passear entre as pinturas florentinas aqui?

Enquanto estiver no bairro, caminhe um pouco até ao Museo di San Marco. Rodeado por outras atrações de sucesso, este mosteiro do século XV com os seus frescos do início da Renascença é uma pérola escondida. Girolamo Savonarola já viveu aqui e a sua história dramática (spoilers) termina com uma execução.

TARDE: um bife e uma basílica

Abra o apetite com a caminhada de 15 minutos até ao bairro de Santa Croce, em direção ao sul na Via Ricasoli, para ver mais do centro histórico. Para almoçar na Trattoria Verdi Firenze, considere pedir uma especialidade local: Bistecca alla Fiorentina, a versão local do bife.

A seguir, está a Basílica de Santa Croce. Esta igreja medieval é famosa pelos seus frescos de Giotto, assim como pelos seus residentes: Miguel Ângelo, Galileu e Maquiavel estão todos enterrados aqui. Pode passar até uma hora a admirar e, em seguida, fazer uma paragem na Scuola del Cuoio, uma famosa escola de curtição escondida num mosteiro atrás da basílica. Aqui, pode ver os artesãos a trabalharem e comprar artigos em pele a um preço justo.

Precisa de um gelado? Os colaboradores do Tripadvisor dizem que a Gelateria La Carraia, em Santa Croce, serve o melhor gelado que já provaram. Vale a pena experimentar e dar a sua opinião!

Os viajantes dizem: “[A Basílica de Santa Croce] foi um dos pontos altos da minha viagem a Itália. Foi realmente emocionante estar no local de descanso de tantos artistas e cientistas influentes. Vi tantas basílicas e igrejas ao longo de 12 dias e penso que esta foi a mais impactante. Para mim, é uma experiência imperdível!” —Ann345678

NOITE: buon appetito

Passeie pelo bairro de Santa Croce, menos movimentado, para apreciar o ambiente local e, em seguida, pare num bar para relaxar com o seu aperitivo diário. O Lo Schiacciavino oferece vinho (o chianti é uma especialidade regional) e um saboroso tagliere (uma tábua de carnes e queijos). Para jantar, o Adagio serve gastronomia local com opções à la carte ou um menu de degustação de vários pratos que destaca produtos sazonais e regionais. Aproveite ao máximo a sua última noite em Florença no Buca 10, um bar amigável no bairro onde pode dizer “tchin-tchin” antes de dizer “ciao”.

EXCURSÕES GASTRONÓMICAS EM FLORENÇA

  • Em parte uma excursão a pé, em parte uma excursão gastronómica, as 10 provas de Florença passam por pastelarias, igrejas e mercados gastronómicos com refeições de especialidades locais por todo o lado, juntamente com vinhos e café.
  • Se está desesperado por levar o sabor de Itália para casa, a Aula de culinária original e excursão ao mercado leva-o ao Mercado Central e ensina-o a fazer massa e outros pratos, como tiramisu, num ambiente descontraído e acolhedor.
  • Se leva a massa um pouco mais sério, a aula prática de Pastamania foca-se na criação de tipos de massa específicos, como ravioli, tortellini e fettuccine. Com imensas avaliações de cinco estrelas, esta experiência é uma das melhores.

Desvios que valem a pena ao longo do caminho

Saiba antes de ir


Florença é mais agitada de maio a setembro, atingindo um pico de movimento (e temperatura) em junho, julho e agosto, quando a cidade ferve. Agosto é a época de férias dos italianos, por isso alguns restaurantes e lojas estão encerrados neste mês, embora a maioria das principais atrações permaneça aberta durante todo o ano. Para evitar (algumas) multidões juntamente com o calor, o final da primavera e o início do outono são ideais. No inverno, Florença é chuvosa, com temperaturas à volta do 10 graus. Não é exatamente tempo para um gelado, mas as multidões e os preços estarão no seu ponto mais baixo. Em dezembro, as decorações de Natal e os mercados festivos elevam o espírito.



Se for possível, evite visitar aos domingos e segundas-feiras, uma vez que muitas das principais atrações estão encerradas um ou ambos os dias. As lojas mais pequenas, como as boutiques de Oltrarno e Santa Croce, também podem estar fechadas todo o dia aos domingos, bem como às segundas-feiras de manhã. Posto isto, o domingo e a segunda-feira não são um completo desperdício: várias atrações estão abertas alternadamente aos domingos e segundas-feiras e encontrará muitas lojas, particularmente na Piazza Duomo, abertas durante toda a semana, especialmente durante a época alta.



Nos restaurantes e lojas, terá de lidar com o riposo diário, ou seja, a tradição italiana de almoçar e descansar de forma tranquila, que costuma durar quatro horas ao meio-dia. Os restaurantes e outros estabelecimentos seguem vagamente o padrão italiano de almoço por volta das 13:00 ou 14:00, aperitivos (bebidas com petiscos que podem servir como um jantar leve) às 19:00 e jantar por volta das 20:00 ou mais tarde.

Para traduzir tudo isto em horários de funcionamento: normalmente, os cafés abrem por volta das 8:00 e fecham por volta das 13:00, enquanto os bares abrem à tarde ou à noite, ficando abertos até às 2:00. Os restaurantes abrem ao meio-dia para o almoço, fecham às 14:00 e, em seguida, reabrem para o jantar das 19:00 às 22:00. Geralmente, as lojas abrem às 10:30 ou 11:00, encerram para o almoço entre as 13:00 e as 16:00 e, em seguida, reabrem até às 19:00. No entanto, em zonas muito turísticas, as lojas podem estar abertas durante todo o dia, especialmente cadeias.



Centro da cidade (Duomo e Uffizi): como se costuma dizer no negócio imobiliário: localização, localização, localização. O centro histórico da cidade fica a uma curta distância a pé de praticamente todas as principais atrações de Florença, incluindo os locais em torno do Duomo e do Uffizi. O Hotel Torre Guelfa, situado num palácio medieval, tem um ambiente muito toscano. Os quartos são simples (embora sejam a metade do preço dos hotéis mais sofisticados de Florença), mas é provável que passe a maior parte do seu tempo no topo da torre medieval, a provar chianti e a desfrutar da vista excecional.

Oltrarno: literalmente “para além do Arno”, esta secção de Florença tem tudo ao longo do rio Arno, em frente ao centro da cidade. É conhecida pelos seus restaurantes, lojas e bares, pelo que constitui uma base sólida. O Hotel Pitti Palace al Ponte Vecchio encontra-se na movimentada rua calcetada de Borgo San Jacopo, mesmo ao lado da famosa Ponte Vecchio. A decoração do hotel é elegante e moderna e as vistas para a cidade são excelentes, especialmente a partir da sala de pequeno-almoço, onde é servido um buffet gratuito todos os dias. Além disso, pode caminhar até à Galeria Uffizi em menos de cinco minutos e até ao Duomo em menos de 10 minutos.

San Lorenzo: San Lorenzo, juntamente com a secção de Santa Maria Novella perto da estação de comboios, faz parte dos circuitos habituais. Em torno do centro histórico, estes bairros têm todo o ambiente de Florença e ainda estão a uma curta distância a pé de atrações. O Room Mate Luca, a 10 minutos a pé do Duomo, obtém classificações elevadas no Tripadvisor devido à sua brilhante decoração de boutique e aos funcionários atenciosos.



Transportes públicos: os autocarros da ATAF circulam por toda a cidade e custam apenas alguns euros por viagem. (Os bilhetes são válidos por uma hora, por isso, tecnicamente, pode fazer várias viagens por um preço.) Estão disponíveis bilhetes turísticos de um dia e vários dias para viajantes frequentes. Os bilhetes podem ser comprados em lojas de conveniência ou nas principais paragens e não se esqueça de os validar quando embarcar.

De bicicleta: não se preocupe, pois não tem de viajar com a sua bicicleta de 10 velocidades; pode alugar bicicletas em todas as principais áreas turísticas. As ruas históricas do centro da cidade não permitem muitos automóveis, pelo que andar de bicicleta aqui é uma opção, mas terá de partilhar a estrada com ciclomotores em hordas de peões. Se o ciclismo urbano é demasiado intimidante, andar de bicicleta fora do movimentado centro da cidade é uma opção. Existem muitas ciclovias na Grande Florença, incluindo um belo percurso ao longo do rio Arno.

De táxi: não é possível chamar táxis em Florença. Em vez disso, pode encontrá-los nas principais praças e nas praças de táxis designadas ou reservá-los através da aplicação SIXT. As tarifas acumulam-se e, uma vez que a cidade é plana e compacta, os seus pés podem ser o seu melhor e mais rápido modo de transporte.

Transferências do aeroporto: o Aeroporto de Amerigo Vespucci (FLR) encontra-se a apenas alguns quilómetros do centro da cidade. A forma mais barata e rápida de chegar de um lado a outro é o elétrico T2, que custa apenas alguns euros e parte diretamente do aeroporto, chegando à estação de Unita, perto do centro turístico, em 20 minutos. Não se esqueça de validar o seu bilhete quando embarcar. Os táxis viajam do aeroporto para o centro da cidade por uma tarifa fixa e são fáceis de reservar com antecedência, mas custam um mínimo de 20 euros.

O Aeroporto Galileo Galilei, em Pisa, também é um importante centro de transportes para Florença. A partir daqui, a opção mais fácil é apanhar o monocarril (também conhecido como o movedor de pessoas) até Pisa Centrale e, em seguida, apanhar o comboio da Trenitalia para Firenze Santa Maria Novella, a principal estação de comboios de Florença, situada mesmo na extremidade do centro da cidade. A viagem inteira demora cerca de uma hora. Um autocarro de transporte também pode levá-lo do aeroporto para a estação de comboios principal de Florença em cerca de uma hora e por um preço semelhante. Circula cerca de cinco vezes por dia e os bilhetes devem ser comprados com antecedência.