Todos os artigos O guia essencial da vida noturna dos parques nacionais da América

O guia essencial da vida noturna dos parques nacionais da América

A verdadeira diversão começa quando as multidões partem.

Jacqueline Kehoe
Por Jacqueline Kehoe12/12/2022 7 minutos de leitura
Uma pessoa a observar a Via Láctea no Parque Nacional do Vale da Morte, na Califórnia
Parque Nacional do Vale da Morte, CA
Imagem: Carlos Fernandez/Getty Images

Este artigo foi atualizado com novas informações.

Luzes brilhantes, ritmos agitados, ao lado de outras pessoas a disputar um espaço apertado: não é uma discoteca, é o espetáculo síncrono de pirilampos no Parque Nacional das Montanhas Great Smoky. Em todas as terras públicas favoritas da América, a noite traz uma série de novas aventuras ao ar livre, desde dançar com estes insetos brilhantes até festas memoráveis de observação de estrelas, caminhadas durante a lua cheia e muito mais.

Embora algumas das ideias abaixo sejam muito populares (ficam até lotadas, por isso, marque já no calendário), outras vão proporcionar-lhe a experiência mais fora do comum num parque nacional: uma que poderá desfrutar a sós. Deixe as multidões partirem e, depois, que comecem as aventuras com esta lista.

Veja a lava a iluminar o céu noturno em tons laranja no Parque Nacional dos Vulcões do Havai

Fluxo de lava no Parque Nacional dos Vulcões do Havai
Fluxo de lava no Parque Nacional dos Vulcões do Havai
Imagem: Eachat/Getty Images

Geralmente, os parques de estacionamento nos parques nacionais começam a ficar vazios à medida que o sol se põe, mas, na verdade, alguns locais nos Vulcões do Havai começam a ficar rapidamente ocupados. Os visitantes procuram formas fáceis de ver a lava brilhante do parque, uma experiência fantástica de dia que se torna algo fenomenal e inacreditável à noite. Especialmente durante a lua nova.

Há várias formas de observar o brilho: na área de estacionamento de Uēkahuna (o antigo Museu Jaggar) ou na área de estacionamento perto de Kīlauea Overlook, ambas a cerca de 300 metros do miradouro, com a lava a uma distância de cerca de 1,6 km. As áreas de estacionamento de Devastation Trail e Puʻupuaʻi (ambas limitadas) permitem-lhe observar a Cratera Keanakākoʻi a uma distância de cerca de 800 metros e requerem uma caminhada de 1,5 km e 2,4  km, respetivamente. Por último, existe o parque no Centro de Visitantes de Kīlauea, que é o menos visitado dos três. Se caminhar ao longo do Crater Rim Trail, fica a cerca de 3,2 km de distância do brilho.

Sugestão: para reduzir a probabilidade de encontrar estacionamentos e miradouros lotados, os guardas-florestais recomendam que chegue depois das 21:00.

Caminhe sob o sol da meia-noite no Parque Nacional de Denali

Caminhada até ao Wonder Lake no Parque Nacional e Reserva de Denali durante o sol da meia-noite
Caminhada até ao Wonder Lake no Parque Nacional e Reserva de Denali durante o sol da meia-noite
Imagem: Mark C Stevens/Getty Images

Durante o verão no Parque Nacional e Reserva de Denali, os dias duram mais de 20 horas. No solstício de verão (geralmente, a 21 de junho), o sol põe-se por volta das 00:30 e nasce por volta das 03:30. Se optar por ficar nesta zona, é provável que durma com o sol na sua plenitude.

A menos que não vá dormir e opte por caminhar depois da meia-noite, nunca verá escuridão total. Aqui, as infraestruturas são escassas e, a qualquer hora da noite, pode percorrer os trilhos sociais do parque, semelhantes a trilhos de animais, mas criados por humanos, que atravessam o deserto remoto. Ou fique-se pela entrada do parque em torno de Riley Creek, uma área mais cuidada, e percorra os trilhos Triple Lakes ou Savage Alpine.

Assista ao primeiro nascer do sol do país no Parque Nacional de Acadia

Nascer do sol na Cadillac Mountain no Parque Nacional de Acadia do Maine
Nascer do sol na Cadillac Mountain no Parque Nacional de Acadia do Maine
Imagem: Matthew Huang/Getty Images

De outubro a março, a Cadillac Mountain de Acadia é o primeiro local nos EUA a testemunhar o nascer do sol. Chegue ao topo pela Cadillac Summit Road, 5,6 km de estrada pavimentada, e será a primeira pessoa a observá-lo também.

Embora não seja o primeiro nascer do sol nos EUA durante os meses de verão, continua a valer a pena visitar a Cadillac Mountain, apesar de existirem alguns senãos. O primeiro? De maio a outubro, vai precisar de uma reserva, que pode ser feita em recreation.gov. O segundo senão? Em junho e julho, o nascer do sol chega mais cedo, por volta das 03:30.

Pode caminhar até ao cume sem uma licença, pelo Cadillac North Ridge Trail, que inclui um ganho de elevação de 344 metros ao longo de 6,8 km. Com um terreno rochoso e nada além de escuridão, só os caminhantes experientes devem tentar uma caminhada à meia-noite pelas encostas da Cadillac.

Nota: Otter Point e Bass Harbor Head Lighthouse podem não ser os primeiros locais a ver os raios, mas continuam a ser excelentes para ver um nascer do sol em Acadia.

Faça uma caminhada durante a lua cheia no Parque Nacional do Vale da Morte

Nascer da lua em Zabriskie Point, Parque Nacional do Vale da Morte, CA
Zabriskie Point, Parque Nacional do Vale da Morte, CA
Imagem: Don Smith/Getty Images

Durante quase metade do ano, o Vale da Morte da Califórnia, o ponto mais quente, mais seco e mais baixo do planeta, ronda, aproximadamente, os 38 graus Celsius durante o dia. Para sobreviverem, as criaturas do parque esperam pelas noites mais frescas para as suas maiores aventuras. E deve fazer o mesmo.

Se puder, planeie a sua visita para apanhar a lua cheia. Ao fazê-lo, pode percorrer os trilhos do parque depois de escurecer ao luar, quando o deserto adota uma natureza selvagem misteriosa, sem humanos e ainda assim repleta de vida. Cuidado com os ratos-cangurus, os coiotes uivantes, as raposas-anãs e as lebres velozes a caçar, brincar e aproveitar a breve inexistência de sol na areia. Os trilhos mais planos, como Mesquite Flat Sand Dunes, são, provavelmente, a melhor aposta. Leve uma lanterna de cabeça com uma função de luz vermelha para manter os olhos ajustados à escuridão.

Observe uma festa de estrelas do Grand Canyon

Via Láctea no céu, sobre o North Rim do Parque Nacional do Grand Canyon, no Arizona
North Rim do Parque Nacional do Grand Canyon, AZ
Imagem: Matteo Colombo/Getty Images

Embora o Parque Nacional do Grand Canyon no Arizona ofereça céus escuros requintados ao longo de todo o ano, durante uma semana no verão, de 10 a 17 de junho de 2023, os telescópios aparecem, os astrónomos preparam-se e o North Rim transforma-se numa festa de estrelas. (Até o shuttle de Village Route funciona até às 23:00)

Gratuita e aberta ao público, a programação de cada dia começa com um espetáculo no Centro de Visitantes de South Rim, conduzido por pessoas que trabalham com a NASA, o Lowell Observatory, a International Dark Sky Association, entre outros. Seguem-se as conversas sobre constelações conduzidas por guardas, os workshops de fotografia do céu noturno e imensas observações de telescópio para ver os gigantes de fogo no seu maior brilho. Também acontece uma celebração mais pequena no North Rim, com apresentações no Grand Canyon Lodge.

Se não puder visitar em junho, não há problema: como International Dark Sky Park, o Parque Nacional do Grand Canyon organiza eventos regulares de observação de estrelas ou pode observar as estrelas por sua conta. Numa noite de céu limpo, locais como Mather Point oferecem vistas da Via Láctea tão distintas que poderá observar várias nuvens estelares, o meio interestelar e muito mais.

Faça uma viagem de barco à noite no Parque Nacional de Everglades

Nascer da lua no Parque Nacional de Everglades na Florida
Parque Nacional de Everglades, FL
Imagem: James Keith/Getty Images

Tal como o deserto, o Everglades na Florida é um ecossistema noturno que ganha vida à noite depois de o calor do dia ter diminuído. Assim que o sol se põe, inúmeras aves começam a empoleirar-se, as rãs começam a chamar, os insetos começam a cantar e os jacurutus e as corujas-barradas começam a caçar. Até os linces-pardos, as martas e as panteras se tornam um pouco menos esquivos, mesmo que tudo o que apanhe seja o ruído deles na água.

Pode explorar as águas por sua conta (procure o Turner River ou o Nine Mile Pond) ou aproveitar uma excursão guiada de caiaque, canoa ou barco à vara para vasculhar os pântanos e quedas de água com mangais para uma experiência totalmente sensorial, com o som a dominar a vista à medida que a lua sobe numa das maiores zonas húmidas do planeta.

Observe os pirilampos no Parque Nacional das Montanhas Great Smoky

Pirilampos síncronos a piscar no Parque Nacional das Montanhas Great Smoky, TN
Pirilampos no Parque Nacional das Montanhas Great Smoky, TN
Imagem: Putt Sakdhnagool/Getty Images

Fique no Elkmont Campground das Montanhas Great Smoky no fim de maio e início de junho e irá presenciar um dos mais raros espetáculos de luz da Mãe Natureza: pirilampos síncronos a iluminar o chão da floresta em impulsos de amarelo fluorescente. Na sua dança de acasalamento no início do verão, os pirilampos começam a piscar por volta das 21:00 e demoram apenas minutos a sincronizar-se com os outros pirilampos ao seu lado. Com uma pausa de aproximadamente oito segundos entre cada conjunto de cinco a oito flashes, a escuridão do Tennessee pulsa com luz durante horas todas as noites num espetáculo que pode durar até duas semanas.

Para este, é preciso sorte. A competição abre em meados do fim de abril. Os campistas e viajantes de mochila de Elkmont também podem ter acesso ao espetáculo, com os portões a fecharem-se aos visitantes depois das 16:00 em datas de observação designadas.

Observe a aurora no Parque Nacional dos Voyageurs

Auroras boreais no Parque Nacional dos Voyageurs, MN
Auroras boreais no Parque Nacional dos Voyageurs, MN
Imagem: BlueBarronPhoto/Getty Images

Um dos parques nacionais menos visitados do país, o Parque Nacional dos Voyageurs no norte do Minnesota é outro International Dark Sky Park. A quatro horas e meia a norte de Minneapolis, a observação das estrelas aqui é magnífica, mesmo apenas em áreas de estacionamento como a Voyageurs Forest Overlook. Todos os parques de campismo e qualquer outro local com uma vista clara do horizonte oferecem oportunidades de comunhão com a Via Láctea.

Mas, no inverno, quando o ritmo parece abrandar, outro espetáculo rouba a cena: as auroras boreais. Vai precisar de uma noite de céu limpo para ter a oportunidade de ver estas faixas, mas com persistência suficiente (e algum vestuário para o clima quente), pode ver o céu a dançar com ondas brilhantes de branco, roxo e verde.

Embora a observação da aurora seja tecnicamente possível durante todo o ano, é muito mais provável com as noites mais longas do inverno. Posto isto, o parque oferece excelentes eventos de observação de estrelas durante o verão, caso uma visita de inverno não seja possível.

Pratique sandboard ao pôr do sol no Parque Nacional e Reserva de Great Sand Dunes

Dunas de areia ao pôr do sol no Parque Nacional e Reserva de Great Sand Dunes, CO
Parque Nacional e Reserva de Great Sand Dunes, CO
Imagem: Cavan Images/Getty Images

Porquê praticar sandboard de dia, no sol interminável e com a areia quente a atrapalhar, quando pode praticar sandboard à noite, enquanto as Great Sand Dunes adquirem os tons cor-de-rosa e roxo do por do sol, que se esbatem para azul-claro com o brilho da lua? Alugue as suas pranchas em Alamosa, nas proximidades, jante na cidade e, depois, vá até ao parque para uma aventura vertical radical a subir e a descer as grandes paisagens de areia do parque.

A noite é um período surpreendentemente animado para este parque do Colorado, com as lanternas, os telemóveis e a música constante dos frequentadores do parque, o que contrasta com a tranquilidade escura das dunas. Os visitantes reúnem-se em maior número perto do centro de visitantes: quanto mais longe for, mais as luzes à sua volta não passarão de estrelas.

Observe o Old Faithful na luz minguante

Erupção do Old Faithful ao pôr do sol, no Parque Nacional de Yellowstone
Erupção do Old Faithful ao pôr do sol no Parque Nacional de Yellowstone
Imagem: Parker Bogues/Getty Images

Se há um parque a evitar devido às multidões de verão, é Yellowstone. E se há um local em Yellowstone a evitar devido às multidões de verão, é o Old Faithful. Por volta do horário de expediente, o passadiço que rodeia o mais famoso géiser do parque fica completamente lotado, com os turistas a esperar ansiosamente para ver a água fervente disparar até 56 metros. (Pode obter as horas das erupções previstas no Centro de Visitantes e Educação do Old Faithful.)

Mas o Old Faithful entra em erupção cerca de 20 vezes por dia, sendo que, normalmente, as multidões dissipam-se à hora do jantar. Embora o pôr do sol seja um momento fantástico para observar o géiser para fotografia, esta paisagem infernal geotérmica repleta de enxofre assume um aspeto assustador ao anoitecer. As multidões partem, os géiseres continuam a soprar, e pode ficar por perto para comprovar que, tal como uma árvore que cai na floresta, eles continuam a fazer barulho.